Sobre os nossos malditos d20s

Dessa vez vamos começar devagar. Sabe o seu d20? Aquele que você escolhe porque tem certeza que ele lhe dará sorte. Ele que sempre tem a missão de eliminar o seu arqui-inimigo, ele que sempre deve lhe salvar do terceiro saving throw antes da morte, enfim… ele que você usa todos os dias. Então, ele subiu no telhado. Aliás, subiu e você nunca soube disso.

Sem enrolação agora.  Seu d20 não funciona direito, ao menos não como deveria. E talvez esse post explique muitas das suas mortes jogando d&d.

Antes de continuar eu gostaria que você, caro leitor, pegue seu d20 aí no canto e, enquanto lê a matéria, vá simplesmente jogando e anotando os resultados. Aliás, se possível grife, circule ou marque da maneira que achar mais conveniente os números 2, 6, 9, 10, 11, 12, 15, 19. São 8 números de 20. Simples, anote todos, mas só selecione esses.

Voltando agora, um pouco de história: +- 30 anos atrás um bom velinho (que não é o papai-noel, mas é o responsável por essa matéria) começou a fabricar os primeiros d20 no mundo. Eu não sei exatamente como é o processo de fabricação de dados, mas ele envolve as seguintes etapas: injetar plástico (ou material desejado) em estado líquido no molde, esperar secar, destacar do molde, pintar os números e pronto, aqui temos um dado novinho em folha para matar os PJs (no meu caso… ando mestrando demais) certo?

Bem, no começo era assim, mas na fase de destacar o dado do molde de plástico, sempre ficava uma marca, como um arranhado na face que ligava o dado ao molde. Pois bem, nínguém gosta de ver o seu dado arrando certo? Eu pelo menos não ficaria muito feliz não e dificilmente comprara um dado assim.

Então a maioria das empresas de fabricação de dados decidiu acrescentar algumas etapas nessa construção: colocar o dado girando numa lixa para remover as pontas, pintar para cobrir o “rasgo” no dado e colocar girando na lixa denovo para polir e dar esses cantos arredondados que temos hj. E o que vc, pobre jogador tem a ver com isso?

Por essas lixadas seu dado acaba ligeiramente oval. Ou seja, as faces não ficam mais todas com a mesma distância do centro e se você é tão esperto quanto eu acho que é logo pode deduzir que tens um dado viciado nas mão. Mas espere, não acredita que isso seja assim? Vamos ao teste:

1. Pegue a máxima quantidade de d20s que vc conseguir. Acho que uns 10 são suficientes para o teste. Mas quanto mais melhor. Ah! E pegue um número par de dados

2. Faça 2 pilhas iguais com eles, com um numero igual de dados em cada uma delas, óbvio. Na primeira coloque sempre a face 9 ou 12 do dado debaixo para cima, servindo de apoio para o próximo dado.

3. Na segunda pilha escolha duas faces opostas quaisquer (como 17 e 4) e novamente empilhe com o mesmo princípio: 17 ou 4 sempre servindo de base para 17 ou 4.

4.Agora compare a altura. Deveria ser exatamente a mesma certo? Pena que não é. A primeira pilha é mais baixa. E a diferença é visível!

E isso mostra como os dados que nós jogamos não são tão aleatórios assim. Como parte considerável dele é “achatada” e seu contorno não é uniforme as as faces não tem a mesma distância do centro, e logo é mais difícil se equilibrar nas pontas. Assim alguns números infelizmente tem mais chance de sair eu eu sei que é uma pena que o 20 não é um deles.

Eu não descobri isso tudo ao acaso, foi vendo a entrevista pelo youtube do bom velinho que vende dados desde que o d20 existe que aprendi isso. Ele inclusive fabrica ainda dados randômicos de verdade (chamados por aí de precise dice… dados “precisos” ou alguma coisa assim) Que podem ser encomendados pela amazon pela bagatela de 9 dolares o kit com 7 dados, barato não? Infelizmente você só percebe o sneak attack nas suas costas quando descobre que o frete é 40 DÓLARES!!!! WTF!!!

Quem sabe eu compre um dia quando dinheiro nascer em árvore, sei lá.

A propósito, lembra de quando eu pedi para jogarem e anotarem os valores? Se não for pedir demais, contem quantos dos números citados acima sairam e façam a proporção de acordo com o número de vezes que o dado foi jogado. Eu aposto que o número é superior a 8/20. Claro, dado é dado, e simplesmente pode ter dado sorte de sair uma proporção  e blá-blá-blá. Mas estatisticamente, tanto o seu dado como os nossos personagens estão #@&^&*> !!!

fato bizarro do dia: o exército americano gastou (se eu não me engano) 65.000 dólares numa máquina que fizesse d20s sem a tal ranhura.

fonte e mais informações a respeito: http://www.leenks.com/link135656.html

2 Comments

  1. Mr Berbero:

    Vc sabe onde esses dados podem ser comprados fisicamente nos EUA?
    Depois de ver o vídeo… vou com ctza esperar a próxima oportunidade para trazer um pá deles para cá, caso passe por aquelas bandas (ou alguém q eu conheça passe).

    • Então, eu imagino que dê mesmo. Só não comprei porque não queria pagar 4x o valor deles em frete. Sem falar que isso tem grande chances de ser taxado quando entrar no Brasil. Mas se por acaso vc conseguir comprar, me dá um toque pq eu queria muito ter um dado randômico de verdade!

1 Trackback / Pingback

  1. Sobre os malditos d20s – Parte II | Red Ninja Press

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*