Destrinchando o demônio

Então, vamos falar de jogos indie já que isso animou a garotada. O que ja veio, e o que o mercado esta se aproveitando cada vez mais. O que está vindo por aí, o que esperar deles, e que tipo de jogo eu calculo que se tornará o marjoritário nesse secto num futuro próximo.

Nesse primeiro artigo irei falar sobre o “tipo” de rpg indie psicológico, e o que ele traz de novidade pro nosso cenário rpgistico e como ele influenciará o rpg de amanhã.

Primeiro quero relembrar que rpg indie não é só mais um tipo de rpg independente, mas se transformou numa cultura própria, com crenças e costumes, como por exemplo o desprezo pelo d20. O que não impediu que alguns rpgs indies fossem lançados no ogl, como bulldogs. Mas de forma dlmrpggeral pequenos cenários de d20 como Midnight, dragonlords of melnibonè, até o recem traduzido faroeste arcano não são Indie, por que não são fruto dessa cultura, que aos poucos espero que eu possa mostrar.

É que nem bossa nova, você pode imitar, mas se você não estava lá na época e no local certo você não é referencia e sim um inspirado por ela. Na verdade não é nenhum mérito ser Indie e nem deixar de ser.

Enquanto isso na sala da justiça… Os rpgs indie-like como os da Fantasy Flight Game, ja tenho até uma revisão do grimm aqui no site, parece que foram conseguidos pela Rede rpg, e eles vão traduzir material oficial em breve. Ja encontrei o “the pool” traduzido pro portuga e aposto que deve ter muita coisa traduzida por aí. Mas não encontrei nada ogl, se alguém souber posta nos comments, mas acho um pouco dificil por que toda a mentalidade indie tem a ver com você criar seu próprio rpg.

Muito desses jogos indie servem à outros propósitos, e vou tentar destrinchá-los nos próximos posts, mas como prévia darei os cortes de carne que existem sobre esse animal Indie: psicológico, high-concept, simples e  narrativos.

extase_silencieux_by_lembrancaso psicológico: Jogos sobre loucura, doenças, desastres, abusos, vicios e mortes. Muitos jogos Indie existem com uma finalidade de fazer você entrar em contato com eventos dificeis, e a graça do jogo está simplesmente em estar em uma sala onde aquilo acontece.  Se você parar para prestar atenção vai perceber que essa ideologia é bem parecida com um Live e eles realmente (nesse tipo psicológico) tentam borrar a linha que separa rpg de live action. Ex: A flower for mara, A penny for my thought e Dirty secrets.

O que aprendemos com esses jogos psicológicos?

Que cada jogo tem uma esfera emocional que ele quer citar/alcançardark_sadness_by_lonelypierot/lidar, e que ela pode ser modulada. Cada jogo, e entenda por jogo tanto o sistema quanto a ambientação quanto a sessão de jogo em sí, trabalha numa esfera emocional, como por exemplo a tristeza ou a glória. As vezes é importante saber qual você procura, muita gente acha esses jogos diferentes muito estranhos, é que na verdade nunca pensaram em trabalhar com outras esferas emocionais.

Essa idéia de esfera do jogo é diferente da esfera do personagem, por exemplo, em Midnight a esfera é de desespero e pobreza, mas os personagens são gloriosos. Enquanto em Forgotten a esfera é de riqueza e diversidade e o mesmo personagem glorioso se mostra totalmente diferente.

sadness_by_rockthenationsNo futuro talvez, quem sabe, teremos os jogos separados por gênero, mas na realidade é que ja temos, o que pode acontecer é que explorem mais outros gêneros. Mas sinceramente acredito que esse “tipo” de rpg indie será o menos aproveitado como inspiração no futuro, e que na realidade muitas dessas secções se transformam em psicodramas e desandam com facilidade.

3 Comments

  1. Bacana, gostei do artigo.
    Pelo que entendi, rpg indie é um pouco rpg “punk”, do tipo “faça você mesmo”.
    Será que não tem algum a venda, para Download ou algo similar por ae?

    Ah, adicionei seu blog na minha blogroll!

  2. Espero que os indie estejam realmente no nosso futuro. Talvez eles sejam um começo da reação de alguns rpgistas que não gostam dos ‘peixes grandes’ do RPG. Será que existe a possibilidade de editoras se interessarem por sistemas assim? Que tratem não do horror pessoal, mas sim do terror de um conjunto de pessoas [como em Midnight, por exemplo]?
    Seria interessantíssimo termos um modelonovo de cenário…

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. Indie- Desossando o demônio | Red Ninja Press
  2. Indie- Temperando a carne | Red Ninja Press
  3. Indie- Cozinhando o bicho | Red Ninja Press

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*