Leio RPG em inglês, pergunte-me como!

Este é um artigo para você, pobre jogador que gostaria de saber o que se fala numa Dragon Magazine, fazer um personagem usando as regras do Player’s Handbook 2 ou que simplesmente gostaria de experimentar o Pathfinder… e ah… não sabe nada da língua inglesa.


livros de rpg ingles

Eu já fui assim um dia. Alguns anos atrás (uns bons anos pra falar a verdade) eu apenas jogava e comprava RPGs em português. Meu inglês sempre foi um tanto quanto sofrível e ler então era uma tortura. Pois bem essa foi minha vida de RPGista até +- a chegada de D&D 3.0. Dependendo de editoras nacionais e da famigerada Devir.

Não que Rpg nacional seja inferior, muito pelo contrário, ultimamente ando vendo muita coisa trash em inglês. Mas você deve saber como é duro ter que esperar anos para quem sabe poder entender uma versão revisada do seu sistema favorito.

Voltando ao ponto… Quando fui apresentado ao jogo dos magos da costa sequer havia previsão do lançamento dele em português e tudo que eu encontrava por aí era: “Nossa… como d&d ficou legal agora…” e comentários do tipo. E para piorar a situação, alguém do meu grupo resolveu comprar os 3 livros básicos logo no lançamento.

Então fazer o que? Eu tinha que fazer a ficha para poder jogar certo? E encher o saco para alguém traduzir e me explicar tudo não era uma opção.

Eis que então… com o Players na mão (e de quebra criei uma rima esdrúxula) descobri que talvez, ler rpg em inglês… mal sabendo inglês… era possível.

Antes de insistir para que você pobre leitor gaste seu suado salário com uma escola de inglês eu gostaria de apresentar a primeiro “facilitador”:

videogames.

Sério, você não sabe inglês, mas tenho certeza que sabe o que é uma sword, um head-shot um dragon ou um OMFG! Pois bem eu também não sabia nada de inglês exceto aquilo usado nos videogames e quando abri o 3.0 pela primeira vez para tentar fazer a ficha do personagem essa foi a minha primeira sensação. Pelo menos boa parte dos substantivos e adjetivos lá eu já conhecia. Pela minha experiência jogando videogames. Tenho medo de afirmar que TODO jogador de rpg também tem um pé no mundo dos games. Mas acho mais difícil ainda imaginar o oposto. Alguém que joga RPG e não videogames…

Obviamente isso não é suficiente para se entender a ambientação ou as regras do jogo, mas já é um começo para fazer o personagem. Aos poucos percebi que mesmo entendendo pouco, as figuras, tabelas e imagens lá tem um propósito: facilitar seu entendimento.

E aqui vem o segundo fator:

manipulação (ou nome maligno que você preferir).

Ás vezes (e com o advendo do D&D3 você pode mudar isso para quase sempre) livros de RPG tem o propósito de ensinar completos imbecís pré-adolescentes a jogar. É  por isso que sempre temos imagens lindas e coloridas, tabelas bem cuidadas, repetição da mesma frase umas 5 vezes para ensinar cada regra. Seu livro de RPG tenta facilitar seu aprendizado ao máximo. Mas falando sério, independente de ser verdadeiro ou falso esse propósito, não podemos negar que ele é um livro feito para ensinar e por isso mil vezes mais fácil de se ler do que um romance por exemplo.

Bem, agora que você se motivou é hora do terceiro fator

o dicionário.

Antes de mais nada aqui vai uma regra: Traduzir o livro inteiro, nem pensar! Com um dicionário na mão… mesmo daqueles velhos e pequenos, você pode tirar suas dúvidas sobre o que não entendeu.

  1. Comece pelas partes que lhe interessam, por exemplo seus poderes, a região natal do seu personagem e assim por diante. Como falei antes o propósito desse post não é ensinar inglês e sim aumentar as possibilidades de jogo.
  2. Preguiça de usar aquele seu dicionário de bolso empoeirado? Não tem problema use a internet. Existem.. milhares de sites com tradutores, não vou fazer uma lista aqui, por que você gasta menos tempo digitando dicionários na busca do que lendo esse post…
  3. Bem, se a preguiça ainda reinar use o Google.

propósito.

Eu sou contra a idéia de ter que se aprender uma nova lingua para jogar rpg e ainda mais contra a idéia de que apenas material importado tem qualidade. Mas se você já joga algum rpg cujo original é em outra língua e quer desesperadamente saber mais opções, porque não tentar? Eu estou criando coragem para pesquisar sobre Shadowrun em alemão. Começar pelo Pathfinder beta é uma ótima (e legalmente falando mais ainda) idéia.

E como última motivação lembre-se: esse pode ser o primeiro passo para conhecer rpgs indies, sistemas bizarros e regras que você nunca pensou que usaria.

Aqueles que quiserem entrar no curso avançado de RPGs em inglês por favor, eu aceito 1000 peças de ouro ou um item mágico de nível equivalente para cada mensalidade.

9 Comments

  1. Concordo em gênero, número e degrau 😀

    Não só aprendi inglês através de videogames e RPG, como hoje sou formado e trabalho com ensino e tradução.

    Muito bom, parabéns pelo post!

  2. Fala ae!

    Silver, no começo achei que não seria necessário, utilizar livros de fora, porém após ver o livro do Sába que a Devir demorou bem uns 3 anos para traduzir vi que vc estava certo, bem como os livros de Star Wars né!

    Abraços

  3. Concordo com tudo que foi dito, principalmente pois o mote do meu blog é tornar acessível os materiais americanos de Street Fighter RPG para quem não tem acesso aos originais e muito menos ao inglês.

    Bons tradutores na web são o translate.google.com e o http://www.windowslivetranslator.com. Quando estes não resolvem e o que você procura é o significado de um substantivo em inglês (um equipamento por exemplo), use o Google Imagens, na certa você vai encontrar uma ilustração que vai fazer todo o sentido. Já usei este método várias vezes.

  4. A partir do inglês básico da escola (que no ensino público não é muita coisa) aprendi a ler principalmente traduzindo jogos de videogame e livros de RPG. Isso foi muito útil pra mim ao entrar na Faculdade de Sistemas de Informação (na área de informática e TI, inglês é a língua padrão) já compreendendo ao menos 90% de qualquer texto.
    Isso é mais uma mostra de que RPG é cultura e educação, mesmo quando esse não é o foco.

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*