Iniciativa 4e #18 – Taverna no Shadowfell

iniciativa4eOs posts da Iniciativa 4e são sempre conjuntos e temáticos, a serem publicados quinzenalmente. Assim, vários aspectos de um mesmo assunto serão cobertos por diferentes autores (veja os links no final do post), dando origem a um suplemento periódico.
O tema desta 18ª edição da Iniciativa 4e são as Tavernas!

A taverna sem nome do Shadowfell

Desta vez temos um minicenário para personagens perto do fim do patamar heróico que por algum motivo devem passar pelo Shadowfell. É uma taverna antiga, onde a música, muitas vezes dá lugar à poesia e o clima sombrio só esquecido pelos prazeres e dores intensos que por lá circulam. Aproveitem!

Contexto

Shadowfell
Shadowfell

Para usar melhor esta taverna, é bom entender também o mundo ao redor dela. Ela é um local de entretenimento fica próximo a um grade centro urbano. Está fora da cidade, não deve respeitar todas as leis de lá, mas próxima o suficiente para ter como clientes várias pessoas importantes da mesma cidade.

Seus principais usuários são da raça Shadar-kai. Isso implica que a taverna terá por natureza um ar meio sombrio, onde dor e prazer se misturam. Para quem não sabe, os Shadar-kai são uma raça que “mora” no Shadowfell, em geral para cultuar a Raven Queen, deusa dos mortos.

E morar no shadowfell tem uma certa implicação. Lá a força que suga a vida é grande o suficiente para tentar separar aos poucos a alma do corpo dos seres vivos que habitam. Por isso os Shadar-kai tem piercings, tatuagens e aspecto sado-masoquista. Eles aprenderam a lidar com essa força a partir altas doses de sofrimento e prazer.

A Taverna

A taverna fica nas bordas da cidade “Necropóle” (ou qualquer grande cidade que você tenha colocado no Shadowfell) e é mantida por Nolazar, o “Branco” por se tratar de um shadar-kai sem tatuagens e nem piercings. Boatos sugerem que ele fica imune dos efeitos da vida no Shadowfell por conta das misteriosas bebidas que vende.

A família Nolazar é responsável pela taverna a gerações, sempre servindo os visitantes desavisados que desejam passear pelo plano dos mortos.

Trabalham na taverna, além de Nolazar, 3 garçonetes, um gnomo cozinheiro e alguns plebeus que limpam e fazem a segurança.

“Boatos sugerem que a família de Nolazar é imortal e vive numa masmorra abaixo da taverna”

A construção

A taverna é mantida intacata por conta da forte madeira negra das suas paredes. Com cerca de pelo menos 1500 anos de existência esse local sobreviveu a ataques, revoltas, e até guerras. Seu porão é repleto de vinhos de todas as partes do universo. Com uma safra especial, mantida em barris mágicos com cerca de 3000 anos.

Quem ferquenta?

A taverna é frequentada por visitantes de vários planos e enquanto pequenos ladrões espreitam do lado de fora o interior é seguro apesar de misterioso.

Visitantes são numerosos da cidade mais próxima ou de condados mais distantes do Shadofewll. Viajantes de todos os planos vão à taverna em busca dos seus vinhos sua poesia e algumas almas inocentes que podem ser corrompidas.

O que a taverna vende:

  • Bebidas: Vinho da terra (é o mais famoso, mas támbem são encontrados vinhos de outros planos) Este vinho extremamente escuro e doce é feito de uvas plantadas na região da taverna perto dos cemitérios.
    Água (como em todos locais). “Proteção contra o futuro sombrio” – Uma bebida forte como aguardente, mas que produz um dor dilacerante por todo o corpo, aquele que beber perde 1 Pulso de cura, mas fica imune do efeito cruel do plano por 1 dia.
  • Comida: Pão e torta de cogumelos com sangue. Como carnes são proibidas na cidade, Nolazar optou por cortar do cardápio, já que o risco de ingerir o pedaço de um morto vivo é grande e indesejado.
  • Venda de itens mundanos: todos, exceto armas e armaduras

Outros vendendores

  • Arthur Triwe: itens mágicos até o nível 10, chance de 50%, estoque no porão da taverna. Exceto armaduras.
  • Begirian: representante local do comércio de tumbas, sarcófagos, túmulos, correntes, urnas e pesos.

Jogos:

  • Declamação de Poemas (Desafio de perícias)
  • Apostas entre ratos zumbis (ilegal na cidade), ocorrem no beco atrás da taverna duas vezes por semana, ratos mortos, zumbis lutam entre si e apostadores fazem dinheiro.

Frequentadores da taverna:

Frequentadores
Frequentadores

  • Baronesa Lyu de A’Thriark (Mestre da ordem do sangue, um clã de vampiros dono das terras ao leste),
  • Prefeito Cadmius e seus guarda-costas, Raven Knights (Prefeito da cidade próxima à tavera, vem coletar impostos pessoalmente e saber dos boatos da região pela família de Nolazar).
  • Viajantes,
  • Demônios disfarçados,
  • Plebeus e
  • Ladrões.

Boatos:

  • Há uma ordem de vampiros na familia de Athriark
  • Uma guilda de ladrões invade as casas nobres da cidade e vende os pertences no plano material.
  • O prefeito é na verdade um diabo disfarçado e mantém uma postura diplomática para conseguir chegar perto o suficiente do templo da Raven Queen para atacar.
  • Espíritos atacam aventureiros nas noites sem lua
  • Quem controla realmente a cidade é a família de nolazar.
  • O famoso vinho que diminui o efeito do Shadowfell na verdade é misturado com sangue dos vampiros e deixa qualquer um que tomar ser controlado pelos vampiros da região.

Inimigos (Encontros em potencial):

  • ladrões diversos que tentam roubar dentro ou fora da taverna.
  • Mortos vivos que levantam ao acaso na região podem ser atraídos pela multidão.
  • Espíritos inteligentes de antigas organizações querem atacar Nolazar por algo que ele esconde
Shadowfell again
Shadowfell again

Outros posts da iniciativa 4e #18 – Tavernas:

1 Comment

  1. Boa dica, q pena q o Constantine bebeu o vinho a o Alar tb, rsrsrsrs!!!!
    E valeu pela dica, por isso eu só bebo cerveja.

    Fúria de Moradin, Clã Hurjack

1 Trackback / Pingback

  1. Iniciativa 4e: A Taverna do Encontro Planar « Encontro Aleatório

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*