Tradição 3,5- A evolução de um sistema

Quando pensamos em um sistema de rpg pensamos em algo único, evocamos uma imagem de um conjunto estático de regras, pensamos em geral em um livro e alguns suplementos que podem ou não ser adicionados sem modificar o funcionamento do sistema apenas a experiência de jogo. Na verdade, sistemas que se expandem para além de um único livro apresentam uma evolução, um conjunto que na verdade é dinâmico, vivo e que precisa ser sempre cuidado.

Na terceira edição, e sua revisão, temos uma clara evolução, pensando que eu evolução nem sempre eu quero dizer algo superior ou positivo, apenas diferente e mais “adaptado”.

O motivo da evolução, adaptação, pode ser por motivos de gosto pessoal do editor da vez, de interesses dos produtores ou pelo gosto dos jogadores…

Vamos ao nosso primeiro estágio: Sword and Fist.

Após o lançamento da terceira edição tivemos o lançamento de alguns livros logo em sequência, uma aventura o Hero Builders Guidebook (que ajudava você a fazer personagem mas não tinha regras extras) e o livro suplemento para Fighters e Monks. Um livro pequeno com as tradicionais dicas de construção de personagem e interpretação, com um pouco de fluff para campanhas que envolvam ordens de lutadores além das classes de prestigio e feats.

A evolução: As regras adicionadas, através de  feats e classes de prestigio, traziam um novo clima para o jogo, elas envolviam pequenas ações de interpretação que davam soluções em regras após o treinamento apropriado. Por exemplo: a ação do mestre das correntes de se envolver em correntes e assim formar uma armadura simples sem limite de máximo de destreza. As novas opções eram exatamente isso: novas ações possiveis. Com essas regras você tinha atauqes e movimentos diferentes dos demais…. para os que não entenderam muito bem a diferença comparem o número de opções diferentes oferecidas com o livro “equivalente” posterior a revisão: Complete Warrior…tudo bem eu faço as contas para vocês dos 31 feats do Sword and Fist (sem contar os de combate de carruagem) 7 dão apenas bônus para suas opções o resto – 24- dão novas opções de ação, já no Complete Warrior dos 61 feats básicos 38 são novas opções, bem nem tão novas assim 21 desses são relançamentos, ou seja  77% de novas opções  no SF contra 62% de novas opções no CW, se ainda retirarmos da conta os relançados temos apenas 36% do total de feats como novas opções.

Muitos livros continuaram esse primeiro estágio: Defenders of the Faith, Tome and Blood, Song and Silence e Masters of the Wild. (novamente peço desculpas para as pessoas que só conhecem os livros em português eu conheço os nomes em inglês e assim fica mais fácil para escrever)

Segundo estágio: A revisão.

Alguns podem discordar que houve ou não um estagio após o SF e antes da revisão, mas a maior parte dos livros usados ou é um fiasco (Oriental Adventures) ou traz novidades apenas no fluff (Manual of the Planes). Mas as reais mudanças nas regras vieram apenas com a revisão.

A evolução: a mudança principal foi exatamente eliminar muitas opções, como aquelas somadas pelo SF e tirar do sistema os buracos que permitiam o abuso e criavam confusão com regras como por exemplo o chicote. Infelizmente o site da wizards não mantém um arquivo com as diferentes versões do FAQ, se mantivessem você veria como o chicote ocupava metade dele, já que era uma arma melee que fazia um ataque ranged, e as pessoas não sabiam se podiam usar rapid shot e cleave ao mesmo tempo com o chicote. Enquanto estiver lendo o FAQ aproveite e encontra a pergunta sobre Monk segurando objetos onde Skip Williams dá um banho de game design escrevendo uma página de regras sobre como lidar com um monge de mãos ocupadas, ele falava o que acontecia se ele tivesse uma lanterna em uma mão, ou uma espada, se tivesse as duas mãos ocupadas, por que mesmo o unnarmed strike dizendo que era possível atacar com os cotovelos ele acreditava que era necessário ter o corpo livre para se poder lutar sem restrições.

A mudança, além de corrigir buracos como o primeiro nível do Ranger, se focou em diminuir as opções e simplesmente criar opções de bônus diferentes, tirar ataques de oportunidade e oferecer foco em diferentes áreas.

Terceiro estágio: Expanded Psionics Handbook.

A evolução: Esse livro apresenta o terceiro estágio da evolução por que marca o renascimento da criatividade no material de D&D dentro da terceira edição (revisada agora). Os editores finalmente perderam o medo de criarem monstros que poderiam ser usados de forma apelativa e investiram na criatividade a partir desse livro. Trabalhar com uma alternativa a magia não é fácil e o sistema de pontos de poder abre a possibilidade do jogador torrá-los de uma vez e apelar  muito, então tiveram uma solução prática e criativa o psychic focus, algo que precisava de concentração para recuperar e que só poderia ser guardado um por vez, assim tudo que é perigoso no EPH pede o uso do psychic focus. A experimentação foi tamanha que achamos bons e criativos feats até para outras classes no livro, como Stand Still, Reckless Ofense e o clássico Deadly Precision.

Depois do EPH tivemos bons livros de regras como Complete Arcane e o conjunto de Races. Todos tentando incluir boas regras que refletiam interpretações e detalhes de cenário.

Quarto estágio: The tomes

A evolução: Todos sabem que a wizards, assim como outras editoras que estão prestes a lançar novas edições, testam novas idéias com livros “intermediário” para ver a reação dos jogadores. Os três livros desse estágio são os Tome of Battle, Tome of Magic e Magic of Incarnun. Um mais estranho que o outro, as regras aqui são tão diferentes que não existe comparação entre um jogo com e sem essas regras, imagine jogar com um personagem que cura 2 pontos de dano dele ou de um amigo até 30 pés cada vez que acerta um ataque sem limite, e qualquer um pode ter esse poder com 2 feats.

Bom esse foi uma pequena análise, poderíamos dividir ainda mais, mas minha intenção aqui não era exatamente fazer uma análise da terceira edição, mas mostrar que os sistemas de regras são seres vivos, dinâmicos, que evoluem e mudam com o tempo. Tentem fazer isso em casa com outros sistemas.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*