Como preparar uma cena

Bom, ja que falamos de como preparar uma aventura, vamos nos focar em seu componente mais importante: a cena.

Como preparar uma cena? O que vai em uma cena? Quanto tempo dura uma cena? D&D tem cena ou é só storyteller?

Seja lá o seu sistema ou sua ambientação, toda a ação, seja ela conversação, combate, reconhecimento ou movimentação, acontece em um período fixo no tempo e estabelecido no espaço. Além desse espaço-tempo restrito, normalmente as ações se dão dentro de poucas mudanças de pontos de vista e poucas mudanças físicas. Em uma perseguição não temos décadas de tempo transcorrido, nem dezenas de plot points sendo explorados, podemos dividir esse tempo e esses pontos em diversas cenas, mas uma cena contém um número limitado de ambientes, tempo e motivação.

A melhor maneira mesmo de se iniciar uma orientação sobre como fazer uma cena bem feita é exatamente definir o que é uma cena, e nesse definição ja temos diversas dicas importantes. Como temos um espaço limitado então devemos saber qual será e como ele é composto.

Para desenvolver os conceitos vou pegar uma cena de modelo e vocês abstraiam dela as similaridades. Vamos escolhar uma cena de exemplo: a apresentação dos neófitos para o príncipe no inicio da campanha de vampiro: a máscara

Local

O olho percebe apenas quebra de linhas, ele não gasta tempo “observando” linhas contínuas. Podemos dizer então que o olho de alguma forma não “acha interessante” a continuidade em sí, ele se atem apenas naquilo que quebra a linha, como curvas e ângulos. Da mesma forma algumas imagens possuem detalhes demais, e cansam a visão e perdem o interesse do espectador antes que ele possa entender a imagem por completo. São regras simples, e mais do que intuitivas, mas as vezes esquecemos de aplicá-las às outras formas de arte, como por exemplo a preparação de uma cena, e caímos no clichê (poucos detalhes) ou no excessivo (muitos detalhes).

Ao preparar a cena de encontro dos PCs com o príncipe, se pergunte em que locais você ja viu essa cena acontecer. Inevitavelmente aconteceu muitas vezes no Elísio, que foi na maior parte das vezes um casarão ou alguns andares de um edifício discreto e antigo, ou um edificio pomposo e tecnológico. Pense nas questões óbvias como a máscara (necessidade dos vampiros de esconderem sua identidade), a proteção e privacidade do príncipe e o perigo dos inimigos da Camarila.

Bem, então temos mais dados agora para definir o local da cena, é importante que seja em um local fechado para assegurar a privacidade e a segurança do príncipe, ou se quiser inovar que seja em um local afastado e isolado, mas esses locais em geral demoram para serem alcançados e os vampiros sempre desejam dormir em seus refúgios e logo temos um problema de logística e segurança: vários vampiros presos em uma fazenda durante o dia. Então ficaremos com a primeira escolha, local fechado, e tentando fugir um pouco do clichê para interessar os jogadores podemos pensar em um quarto de hotel, que é propriedade de alguém da primogênie, assim temos um local bem arrumado, abastecido, com segurança, privado, e que pode ser mudado constantemente para aumentar o nível da segurança.
Nessa escolha que eu fiz também temos uma grande vantagem, espaço pequeno, a vantagem do espaço pequeno é que em primeiro lugar você precisa preparar menos detalhes físicos, como portas, saídas, trancas, grossura das paredes (ninguém tem Potencia no seu grupo?). Em segundo lugar o espaço ser pequeno é importante por que acaba colocando todos na mesma cena, onde todos podem escutar e participar, e por mais que segredos sejam muito divertidos ninguém quer ficar duas horas esperando no canto enquanto o jogador leva um longo papo com o xerife sobre possíveis membros do Sabá. Em um local pequeno você sempre pode fazer pequenas inserções em cenas do que os outros estão fazendo e de pequenos gestos que eles vêem ou palavras mais altas que eles escutam e aumenta a chance de interação.

regra única da localização de uma cena: Prefira espaços fechados e pequenos

Tempo

O elemento mais descartado na preparação de uma cena é o tempo, o mestre considera meio óbvio e aí os jogadores dizem que vão chegar no Elísio as seis da tarde para plantar escutas, e que depois vão esperar todo mundo sair para falarem a sós com o Príncipe e você se encontra com duas cenas improvisadas.

Tudo acontece durante um tempo, assim também é uma cena, se a cena ainda por cima envolve um evento, como o exemplo citado, então temos duas restrições, a da cena e a do evento…. e você me pergunta: como funciona isso?

Você preparou a cena do encontro com o príncipe certo? Então você deve ter se programado para quanto tempo isso irá levar, para os que tiverem lido o artigo de com preparar uma aventura, uma hora é uma boa pedida para acontecer uma cena. O que significa que você precisa se programar a respeito de quem quer falar o que com os jogadores e mais ou menos quanto tempo isso irá levar, assim você não é pego desprevenido com sua harpia inconveniente que você não percebeu que tinha colocado na cena e que quer saber tudo dos jogadores e não para de fazer perguntas. O principe tem algumas coisas que ele quer perguntar (o que exatamente eu exploro mais abaixo) mas cada coisa e cada resposta tem um tempo, e você deve ter isso em mente quando estiver preparando a cena.

Outra preocupação é que a cena acontece dentro de um evento, e esse evento da mesma forma tem sua própria restrição de tempo, entrar no Elísio não é que nem entrar no McDonalds, não é entra quem quiser e pode usar o banheiro sem problemas, a coisa tem suas regras, para inicio de conversa o convite deve informar a hora que começa, o jogador deve ter clareza disso. A entrada deve então ser controlada por seguranças, exatamente para que ninguém entre mais cedo e coloque escutas no lugar, e se os jogadores quiserem subornar o segurança? Bem, você deve como mestre se colocar no lugar do príncipe e pensar que ele contrataria, que pessoas fariam essa segurança, não seria bom um vampiro com auspícios de confiança? e como seria possível comprar essa confiança? No final do evento como os convidados são informados? Como é que fazem com os que se recusam a sair ou os que se escondem com ofuscação para não precisar ir embora?

Digamos que você tenha realmente jogadores teimosos que queiram mesmo esconder coisas pela sala antes do evento e conversar com o príncipe depois do evento, então provavelmente você tem aí três cenas, que você pode claramente definir por tempo, espaço e motivação diferente, e sabendo disso é só preparar as três cenas.

Com a questão do tempo é simples, alguém vai tentar usar o tempo, assim como usam o espaço para tirar algum proveito dos pdms, assim como Musashi que chegava mais cedo para pegar seu inimigo cansado da viagem ou mais tarde para pegá-lo irritado de ter esperado. Saiba como mestre de que eles tentarão tirar proveito desse tempo, e tente antecipar esses furos e surja com soluções, como os seguranças e alarmes que impediriam qualquer um de tirar proveito e saiba: o tempo passa. Como regra única saiba que seja o que estiver acontecendo de bom ou ruim, é fadado que acabe em algum momento e que os jogadores sejam forçados a mudar de cena e de atitude e de local por que as cenas, assim como os eventos tem “janelas”. O principe não vai ficar eternamente esperando os PCs, em algum momento ele irá se cansar considerar a omissão um insulto e lançar alguém atrás deles…. e você tem outra cena.

Motivação

Se o tempo é o componente mais ignorado a motivação é onde os mestres erram mais. Motivação fraca, superficial e não pensada acabam sendo os maiores erros assim como ignorar a própria motivação.

Não escreva apenas no papel o quê quer o pdm, mas por que ele quer isso. Sabendo o por que você pode se virar caso o “o quê” se torne repentinamente inalcansável. Por exemplo, você criou um pdm nessa cena do Elísio que quer contratar um dos jogadores para espiar outro vampiro, e aí o jogador chega na cara do pdm e (por que jogadores são bestas imprevisíveis e detruidoras de tudo que é bonito e certo no mundo) xinga o pdm e cospe no chão, apresentando uma atitude claramente hostil. Definitivamente você não pode assumir mais que existe um clima favorável o suficiente, ou pacífico o suficiente, para esse mesmo pdm pedir um favor para o jogador, então agora você fica travado por que queria apenas mostrar para o jogador que aquele pdm era maquiavélico e não tinha pensado ainda por que ele pedira isso.

Se o vampiro queria pedir esse favor para testar a disponibilidade dos jogadores para ajudar os outros, então ele ja tem sua resposta e não precisa fazer mais nada, se ele estiver com medo de um ataque e quiser saber das intenções do outro vampiro ele pode ficar mais paranóico, se ele queria testar a disponibilidade dos jogadores de serem manipulados ele pode ficar triste (se quisesse que eles falhassem) ou feliz (se quisesse que eles fossem bem sucedidos). Sabendo a intenção e o motivo daquela intenção você pode sempre se adaptar mais rápido, interpretar melhor e mostrar para os jogadores que eles estão em m mundo vivo (que é sempre gostoso de perceber quando se esta jogando).

regra 1 da motivação: sempre que possível faça a história do pdm, incluindo intenções e vontades

Em toda cena temos dois tipos de motivação: a do personagem e a sua própria motivação…. e não, elas não são a mesma. Em uma cena climática de MouseGuard o líder das doninhas se apr

oxima com sua “gigantesca” espada de duas mãos, ELE pretende matar todos os ratos da guarda, EU pretendo que ele morra e os jogadores tenham uma vitória difícil e suada.

Saiba o que você esta procurando na cena, e não seja muito filosófico, tem que ser um objetivo simples, palpável, visível e confirmável. Tendo esse objetivo em mente você nunca vai ser pego desprevinido, por que elespodem perder a cena por estarem fora do espaço-tempo dela, e estarem longe do pdm principal mas você ainda esta lá e sabe o que deve acontecer com eles. No exemplo da cena do Elísio a sua motivação pode ser assustá-los com a conivência do príncipe com a agressividade dos outros, assim mesmo que eles percam a oportunidade de observar isso com falas preparadas do príncipe você pode mostrar isso através de outra cena onde os vampiros da cidade são agressivos sem nenhuma preocupação com a retaliação.

regra 2 da motivação: saiba o que você quer com a cena

Boas cenas e Boa sorte!

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*